Afinal, o que é Água Subterrânea?

Antes de saber, exatamente, o que é água subterrânea é preciso ter em mente alguns dados. No planeta Terra temos somente 3% de água doce, ou seja, a água necessária para suprir as nossas necessidades. Deste volume 69% são águas armazenadas em calotas polares e geleiras. Apenas 30% são águas subterrâneas e somente 1% são as águas superficiais que compõem os rios, lagos e represas.

Com esses números, já podemos ter uma ideia da grande importância das águas subterrâneas.

 

Mas, afinal, o que é Água Subterrânea? 

Para responder a essa pergunta, reproduzimos aqui um  texto bem didático do Instituto Água Sustentável.

(Caso você queira se aprofundar e ter uma visão mais técnica sobre o assunto, acesse também este conteúdo da ABAS).

A água subterrânea é a parcela de água que permanece no subsolo (abaixo do solo), onde é armazenada em poros e fraturas existentes em rochas e grãos dos solos. Essa água flui lentamente até descarregar em corpos de água de superfície (rios e lagos, por exemplo), ser interceptada por raízes de plantas ou ser extraída através de poços. Ela é invisível aos olhos e tem papel essencial na manutenção da umidade do solo, no fluxo dos rios, lagos e brejos, produção de bens e consumo e abastecimento humano (SOLDERA, 2011, 2017).

A água subterrânea é também responsável por manter a perenização de rios durante os períodos de estiagem. Dentre as suas funções pode-se destacar ainda a função de produção, ambiental, estratégica, transporte, filtro, energética, estocagem e regularização (REBOUÇAS, 2006).

As águas subterrâneas são armazenadas em aquíferos!

 

O que são aquiferos?

Aquíferos são reservatórios subterrâneos de água.  Neles é possível extrair quantidades suficientes para aproveitamento econômico e abastecimento público. São classificados em relação à porosidade da rocha que armazena a água, podendo ser granular, fissural e cárstico (SOLDERA, 2017).

Os aquíferos também podem ser classificados por suas características hidráulicas, podendo ser livres ou confinados:

Aquíferos livres, também chamados de freáticos, estão mais próximos à superfície e ficam submetidos à pressão atmosférica. Já os aquíferos confinados estão em uma profundidade maior e, intercalados por camadas impermeáveis ( e estão submetidos a uma pressão maior que a da atmosfera).

REPRESENTAÇÃO DOS PRINCIPAIS AQUÍFEROS DO BRASIL

FONTE: BOSCARDIN BORGHETTI et al. (2004), adaptado de MMA(2003)

As áreas por onde os aquíferos são abastecidos (por onde o aquífero recebe água) são chamadas de áreas de recarga. Normalmente elas são afloramento de formações geológicas. Já os locais onde a água brota (por onde a água sai) do aquífero são as áreas de descarga. As águas geralmente voltam à superfície como nascentes ou escoamento básico que irá contribuir para as águas que irão formar córregos e rios.

Poluição e superexplotação de águas subterrâneas são problemas recorrentes. Assim, fazer gestão e gerenciamento eficientes, políticas públicas que visem a proteção destes mananciais e desenvolver ferramentas que integrem os órgãos gestores com a população é imprescindível.

Fonte: Instituto Água Sustentável (2016) / aguasustentavel.org.br

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *